Tratamentos Fitoterápicos

Tratamentos Fitoterápicos

O fitoterápico é um produto farmacêutico obtido através do processamento de matérias-primas ativas vegetais cuja segurança e eficácia são baseadas em evidências clínicas.

Fitoterápicos costumam ser indicados para distúrbios leves, mas podem ajudar em quase todas as condições médicas. Costumam ser muito eficientes no tratamento de doenças psicossomáticas, ansiedade, insônia, depressão, problemas digestivos, gases, gastrite, espasmos, dores e anorexia e muito mais.

Nossos tratamentos, além do acompanhamento profissional com Psicólogos e Psiquiatras, também contam com o uso de medicamentos fitoterápicos, que auxiliam nossos pacientes, entre em contato e saiba mais.

Tire suas dúvidas através das

Perguntas frequentes

Caso tenha alguma dúvida que não esteja entre as nossas perguntas frequentes, clique no botão de WhatsApp, ou envie uma mensagem através do formulário ao final dessa página.

Esses medicamentos são obtidos através da utilização exclusiva de matérias-primas ativas vegetais.
Na fitoterapia são utilizados os princípios ativos de algumas plantas medicinais para o tratamento ou a prevenção de enfermidades.
Os ativos vegetais são retirados das plantas.
Assim, suas raízes, folhas, flores e sementes são manipuladas, industrializadas e padronizadas para a comercialização.

Por isso, assim como os medicamentos convencionais, os fitoterápicos passam por processos industriais de produção e seguem rigorosamente os controles de qualidade.

Assim, os medicamentos fitoterápicos também precisam de registro na ANVISA.

Qualquer médico que tenha experiência e prática com a utilização desses medicamentos, desde que dentro de sua área de atuação.

A fitoterapia não é uma especialidade médica, então cada profissional – nutricionista, pediatra, dentista ou clínico geral, por exemplo – pode indicar medicamentos fitoterápicos para prevenção ou tratamento de doenças relacionadas à sua especialização.

Não.
Na maioria dos casos agudos, haverá a necessidade de prescrever medicamentos convencionais (os alopáticos sintéticos), e a fitoterapia poderá ser utilizada como complemento ao tratamento.